Estrada da graciosa a bela e o bigode
Brasil,Paraná

Estrada da Graciosa: uma das mais bonitas do Brasil

A rodovia PR-410 é uma das estradas mais bonitas do Brasil e seu nome é Estrada da Graciosa (tripadvisor). A rota atravessa a Serra do Mar do Paraná de tal forma que conecta as cidades de Curitiba, Morretes e Antonina.

Pegamos uma excursão com a Jyuli Tour e, quando fomos comprar, não havia vagas para a descida de Curitiba para Morretes. Somente havia vagas para a subida de trem. Então, descemos de van em cerca de uma hora e meia de percurso e subimos de trem.

Infelizmente, o nosso guia era péssimo e não tivemos paradas e explicações sobre o local. Então vou colocar aqui tudo que pesquisei e dicas para se admirar pelo caminho.

A UNESCO, em 1992, deu a região o Título de Reserva Biosfera da Mata Atlântica e possui dois parques estaduais igualmente importantes. São o Parque Estadual da Graciosa e o Parque Estadual Roberto Ribas Lage.

A estrada recebeu esse nome de acordo com sua semelhança com uma região dos Açores em Portugal.

Como chegar até a Estrada da Graciosa

De Curitiba, ir pela BR-116 por mais ou menos 40 km e pegar a saída do km 59 onde, na placa, estará escrito Estrada da Graciosa. Siga até chegar ao Portal da Graciosa e de lá iniciar a viagem pelas paisagens com montanhas e cachoeiras.

História da Estrada da Graciosa

A estrada da Graciosa, possui mais ou menos 30 km de extensão, é uma estrada histórica e foi um dos primeiros acessos até o litoral do Paraná.

Em registros oficiais, o Caminho da Graciosa são datados de 1721, quando os índios a utilizavam, em busca do pinhão das araucárias.

Iniciou sua construção em 1854, após a criação da Província do Paraná. Ela foi inaugurada somente em 1873, sendo a primeira a servir para trânsito de pessoas, veículos e animais no Paraná.

A estrada iniciava onde hoje é o shopping Müller, no centro de Curitiba.

Construíram a estrada aproveitando cinco caminhos coloniais, sendo eles: Graciosa, Itupava, Arraial, Picada dos Ambrósios e Cubatão, ligando assim o litoral ao interior do Paraná.

A estrada é bastante sinuosa. No passado, os tropeiro transportavam por ela café, erva mate e madeira até os portos de Paranaguá e de Antonina.

Pela sua importância econômica até metade do século XX, era única estrada pavimentada de todo o Paraná.

O portal, embora não fique no trajeto original, possui uma arquitetura das missões jesuíticas e é um cartão postal do local e facilita o acesso pela BR-116.

Caminho dos Jesuítas

Também conhecido como caminho colonial da Graciosa é o único trecho original da Estrada da Graciosa e mantém a pavimentação de pedras colocada pelos escravos.

Da mesma forma que os índios, os portugueses começaram a utilizá-la tendo como atração a Casa de Pedra.

A Estrada da Graciosa na atualidade

Em torno de todo o seu caminho, por trechos de Mata Atlântica, há quiosques onde vendem caldo de cana e pastéis fritos na hora. Além disso, existem sete recantos com churrasqueiras, sanitários e lazer pela via.

Nós paramos na serra, no Mirante Engenheiro Lacerda, de onde tem-se a linda paisagem que alcança o Porto de Paranaguá. De lá, também vemos o Pico do Paraná que é a maior montanha no sul do Brasil.

Estrada da graciosa mirante
Estrada da graciosa mirante
Estrada da graciosa placa
Placa do Sitio Geológico

Na estrada, há centenas de pés de hortênsias que deixam a estrada ainda mais charmosa. São flores lindas.

O limite de velocidade varia entre 40 a 60 km/hora e não é permitido o tráfego de caminhões e ônibus.

Ao longo da via, não tem como ultrapassar, porque as curvas são fechadas e o calçamento é de paralelepípedo.

Tomem muito cuidado na direção pois a estrada possui muitas curvas. Além disso, ela está sujeita a neblina e chuva por isso se for com o próprio carro, fique alerta!

Saiba mais sobre a nossa viagem em o que fazer em Morretes .

Você também pode gostar...

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.